Logotipo do Planeta Educação

Fazer busca detalhada


placeholder for flash movie

Aprender com as Diferenças
Luís Campos - Blind Joker Salvador - Bahia – Brasil

Blind Kid, o Herói do Agreste, a primeira rádionovela totalmente (e apenas) digitalizada! - 03/05/2007
Capítulos Capítulo XI e XII

"Brincar, Sorrir e Sonhar, são coisas sérias!"
Editor: Luís Campos - Blind Joker
Edição Especial de Bang-Bang
Salvador - Bahia – Brasil

A Revista Cego a vista, em parceria com a Rádio LC51 FDP, a Rádio Criativa de Portugal e o Jornal Bizu de Salvador, orgulhosamente apresentam:

“Blind Kid, o Herói do Agreste, a primeira rádionovela totalmente (e apenas) digitalizada!”

Está entrando no ar, na terra, no mar. Na sua maninha!
A minha, a sua, a nossa... A da mãe!
Rádio LC51 FDP (Freqüência Desmiolada Paranormal)
O som do seu radinho de pilha! Rádio LC51 FDP 24.69 HPs de Impotência!
Rádio LC51 FDP
A voz da Bahia que o Brasil... Desconhece!
Vinte e quatro horas... Fora do ar!
A Rádio LC51 FDP tem a honra de apresentar para o mundo, sua quarta e mais brilhante rádionovela:

Blind Kid, o Herói do Agreste...

Mais valente que Pepe Legal... Mais charmoso que Lucky Luke... Mais temido que Kactus Kid... Mais rápido que o Xerife Ricochete... Mais inteligente que Rin TinTin... E mais cego que uma toupeira!

Capítulo XI

Narrador - Enquanto o famigerado facínora Humber Too e seus comparsas, não menos famigerados nem menos facínoras, aguardam a permissão para a entrevista com o precavido bandido da gang das Montanhas Caolhas, El Calderon, voltemos à Vox City...

Capitão Evans Gell - Coronel Glauck, o Xerife Ed Mundy quer falar conosco em seu gabinete!

Coronel Glauck Ferys - Não vai dar Capitão Evans... Eu não volto hoje para o forte Gulliver!

Capitão Evans - Não é em seu gabinete que ele quer vê-lo, Coronel Glauck... É no dele!

Coronel Glauck - Ah! Então vamos ver o que ele quer!

Narrador - Eles saíram do Talk Saloon e se dirigiram ao gabinete do xerife de Vox City...

TOC TOC

Xerife Ed Mundy - Entrem, entrem... A porta está aberta!

Capitão Evans Gell - E aí, Xerife Ed... Alguma novidade?

Coronel Glauck Ferys - Prendeu Humber Too e seu bando?

Ed Mundy - Nada disso, Coronel... É que está na hora da novelinha daquele ceguinho abestado e eu os chamei para ouvirem esse capítulo comigo!

Glauck Ferys - Já havia esquecido Ed... Adoro essa novelinha!

Evans Gell - Eu também! Vou sentar aqui, Ed! Estou doidinho pra ver esse ceguinho se lascar! Hahhahhahahah!

Ed Mundy - Fiquem à vontade... Vou pegar meu radinho!

Coronel - Vamos combinar uma coisa: ninguém dá um pio durante a novela, tá?

Capitão - Combinado!

Xerife - Aceito! Deixe-me ligar logo esse rádio!

ZING DING ZING ZINZ

Bob Perr - A Rádio Vox Populi apresenta... "As aventuras de Bill Blind, o ceguinho errante!" Num patrocínio da legítima Cachaça LC51, a única aguardente fabricada artesanalmente pelos não tão legítimos assim, índios Moy Kannas!

Narrador: Os índios cantavam e dançavam em volta do ceguinho que, amarrado ao Totem Sagrado dos Pés Sujos, não tinha vontade de acompanhar a cantoria nem se divertia com a dança dos peles-vermelhas. A lua já se preparava para dormir quando o chefe Touro Deitado falou a seus guerreiros:

Touro Deitado - Sol logo nascer! Acendam fogueira pra assar ceguinho e vamos todos dormir! Eu estar com soninho!

Coro dos guerreiros Pés Sujos - Uuuuuuuuu! uuuuuuuuuu!

Narrador: Os índios acenderam a fogueira e se retiraram. Apesar do calor que vinha das chamas, o ceguinho começou a suar frio! Alguns segundos depois, aquela índia lourinha que chorava na porta da sua tenda, correu até onde o ceguinho estava e lhe disse:

Índia lourinha - Lua Tapada vai salvar cego-branco!

Bill Blind - E como fará isso, adorável lourinha pele-vermelha?

Lua Tapada - Vou assoprar até apagar fogo!... Fuuuuu fuuuu fuuuu...

Bill Blind - Posso dar uma sugestão, linda lourinha?

Lua Tapada - Quer que Lua Tapada assopre com mais força?

Bill Blind - Não, Lua Tapada! Quero que...

Lua Tapada - Quer que Lua tapada pegue abano!

Bill Blind - Não é nada disso... Pegue a mangueira com a qual você rega o jardim em volta de sua tenda!

Lua Tapada - Oh! Lua Tapada esquecer! Lua Tapada vai pegar mangueira!

Bill Blind - Não esqueça de abrir a torneira, Lua Tapada!

Lua Tapada - Lua Tapada não esquecer, cego-branco... E vai correndo!

Narrador: Alguns segundos depois Lua Tapada apagou o fogo, desamarrou o ceguinho e o levou para sua tenda!

Lua Tapada - Não repare na falta de móveis, cego-branco!

Bill Blind - Garanto que não repararei nisso! Que tal me chamar pelo meu nome?

Lua Tapada - Lua Tapada não saber nome de cego-branco!

Bill Blind - Meu nome é Bill Blind!

Lua Tapada - Lua Tapada pode dizer só Bill?

Bill Blind - Claro Lua Tapada... Devo-lhe a vida!

Lua Tapada - Você não dever nada a Lua Tapada... Odeio fedor de carne assada! E se você queimasse acabava novela e Lua Tapada ficava desempregada, né?

Bill Blind - Isso é verdade! Bem, agora tenho que sair daqui, antes que os guerreiros Pés Sujos acordem!

Lua Tapada - Não se preocupar... Depois de tomar todas, dançar quase lua toda, guerreiros Pés Sujos só acordar quando sol deitar!

Bill Blind - Então devo aproveitar e fugir... Preciso mudar de roupa e tomar um banho... Não nessa ordem, claro!

Lua Tapada - Bill tirar roupa e Lua Tapada dar banho!

Capitão Evans Gell - Essa índia não é nada boba!

Coronel Glauck Ferys - Esqueceu Capitão? Nada de pitaco no meio da novela!

Xerife Ed Mundy - Ouçamos o que o Bill dirá!

Bill Blind - M-mas eu não tenho roupas aqui...

Lua Tapada - Bill ficar nu... Lua Tapada dar banho e passar creme da Avão em corpo dele! Depois vestir roupa de guerreiro pra fugir!

Bill Blind - Boa idéia, Lua Tapada... Assim saio disfarçado e ninguém me notará!

Narrador: Bill Blind tira a roupa, senta numa bacia de couro de búfalo e Lua Tapada dá um banho de cuia nele...

Capitão Evans - Hahhahahhahahhaha!

Coronel Glauck - Hahhahhahahahhahaha!

Xerife Ed - Hahhahahhahahahhahah!

Coronel - O Bill Blind vai se dar bem!

Evans - Hahhahahhahahahhahah! É mesmo!

Xerife Ed - Hahhahhahahahahhahahahh!


Narrador: Well... Após um banho refrescante, um cremezinho pelo corpo, uma indiazinha cheirosa... Não há ceguinho que resista! Antes que o sol se pusesse, Lua Furada colocou Bill Blind sobre um belo cavalo malhado e este foi em direção a Puerto Ciego.

Lua Furada - Até um outro capítulo, Bill! Lua Furada nunca esquecer!

Bill Blind - Esperarei ansioso por este capítulo, Lua Furada! Também não esquecerei seu cheiro de alfazema artesanal!

Narrador: Bill Blind partiu e dos olhos da indiazinha lourinha desceu uma lágrima... Uma em cada olho! Quando atravessava uma pradaria, Bill Blind ouviu um grito:
- Dindo! Dindo!

Narrador: Logo Bill reconheceu a voz de Rô Roy, seu guia e afilhado...

Bill Blind - Rô! Que faz por aqui?

Rô Roy - Eu o esperava!

Bill Blind - Você viu quando os Pés Sujos me pegaram?

Rô Roy - Vi, sim! E os segui até a aldeia!

Bill Blind - E por que não atirou neles, Rô?

Rô Roy - Esqueceu que você só me deixa usar revólver de espoleta ou de água?

Bill Blind - É mesmo! Quem brinca com fogo faz xixi na cama, Rô!

Rô Roy - Então aqueles guerreiros Pés Sujos vão mijar na cama, Bill! Hahahhahahahhaha!

Bill Blind - Se vão! Hahhahahahhahahah!

Rô Roy - Eu estava só esperando uma chance para apagar a fogueira e salvá-lo, mas aquela índia loura chegou antes de mim! Que bom!

Bill Blind - Bom? Foi ótimo, Rô!

Rô Roy - Como você demorou lá dentro da tenda, eu fiquei preocupado, Dindo!

Bill Blind - É que pra vestir essa roupa de índio demora muito, Rô!

Rô Roy - Hummm! É melhor irmos até o rancho da Jane Arden para você tirar essa roupa de índio... Parece até fantasia de carnaval! Hahaha!

Bill Blind - Deve parecer mesmo! Hahhahahhahahha!

Narrador: Bill Blind e Rô Roy cavalgaram cerca de uma hora e logo estavam no Rancho Cabra-Cega, da Jane Arden, namorada do ceguinho. Quando esta os avistou, correu em direção a eles...

Jane Arden - Bill, amor! Por onde andou... E que roupa é esta?

Bill Blind - É uma longa história, Jane... Depois lhe conto!

Rô Roy - Se não fosse eu, Tia Jane, Dindo não se salvaria!

Jane Arden - Que valente você é, Rô!

Bill Blind - Não é bem assim, mas deixa pra lá!

Jane Arden - Me conte tudo, Bill... Não esconda nada! Durante o jantar você me conta tudinho, né?

Narrador: Bill, Rô e Jane entraram em casa e foram para a cozinha. Jane chamou sua governanta e ordenou:

Jane - Diana coloque mais dois pratos na mesa... Temos visitas!

Diana - Olá, Bill... Oi, Rô! Como estão as coisas?

Bill - Tudo bem, Diana... E por aqui?

Diana - Sempre a mesma coisa... Ordenhar vaca, domar potro bravio, marcar gado, consertar cerca, defender-se de salteadores de estradas, nadar no rio, tomar banho de cachoeira... Todo dia a mesma coisa!

Bill - Eta, vidão!

Jane - Vidão é a sua, Senhor Bill Blind... Cavalgando livre por planícies, montanhas e pradarias desse mundão de meu Deus!

Diana - Isso quando não está nos saloons de Puerto Ciego!

Bill Blind - Não exagerem meninas... Não exagerem!

Jane - Chega de conversa... Vamos comer gente!

Rô Roy - Tô com uma fome... Sou capaz de comer uma vaca!

Bill Blind - Calma Rô... Você ainda é muito jovem pra isso!

Jane e Diana - Hahahahahahaha!

Rô Roy - Não entendi a piada, Dindo!

Bill Blind - Um dia você entenderá Rô... Agora coma!

Bob Perr - E assim, chegamos ao fim de mais um capítulo da sua novela das seis aqui na Rádio Vox Populi... Até amanhã, neste mesmo Voxdial!

Xerife Ed Mundy - Bem, amigos... Por hoje é só! Vou desligar o rádio pra não gastar as pilhas!

ZINZ ZING DING ZING

Coronel Glauck Ferys - Vamos voltar ao saloon, pessoal!

Capitão Evans Gell - Boa idéia, Coronel!

Xerife Ed Mundy - Eu também vou com vocês, amigos!

Narrador - Enquanto esses caras voltam ao Tal Saloon, acho melhor encerrar esse capítulo.

Capítulo XII

Narrador - Enquanto a melosa da Kacy Mary se despede do Blind Kid e Odel Yta vai "beber" sua raiva num copo de uísque barato, voltemos ao Canyon do Olho de Vidro, onde se encontra o famigerado facínora Humber Too e seus comparsas, Ty Agoo e os irmãos gêmeos, Dady e Joseph Vã, aguardando a volta do assecla do mexicano, El Calderon. Com o retorno deste, finalmente eles conseguem "passe-livre" para adentrar o reduto do mexicano...

Assecla de El Calderon - Vocês podem passar. O Chefe os espera!

Humber Too - E onde podemos encontrá-lo?

Assecla de El Calderon - Avancem pelo canyon e quando chegarem a um planalto verão uma cabana pintada de verde e amarelo... É ali!

Humber Too - Hoje cedo, na alvorada, avistamos essa cabana de lá da planície... É essa?

Assecla de El Calderon - Essa mesmo!

Humber Too - Hummm! Obrigado! Vamos, rapazes!

Narrador - Humber Too e seus comparsas avançaram até chegarem a tal cabana. Apearam e entraram. Lá dentro, sentado ao lado de uma tosca mesa, estava El Calderon, brincando com uns soldadinhos de chumbo...

El Calderon - Hola, Humber Too! Qué tal? Buenos, muchachos!

Humber Too - Olá, El Calderon... Tudo bem! É um prazer reencontrá-lo!

El Calderon - Qué deseya de mi, amigo?

Humber Too - Estou precisando de armas e munição!

El Calderon - Tengo las mejores!... Tienes como pagar? Tarjeta, moneda ó oro?

Humber Too - Nem cartão, nem dinheiro, nem ouro... Tenho coisa muito mais valiosa... Coisa fina!

El Calderon - Se es más valiosa quién hai de decir soy yo, hombre! Donde está esa cosa, muchacho?

Humber Too - Aqui no meu alforge... Veja!

Narrador - Humber Too retirou do alforge um monte de revistinhas em quadrinhos e as colocou sobre a mesa, diante de El Calderon que, ao vê-las, soltou um grito de júbilo. Porém, ao manusear as revistas, soltou um outro tão apavorante que fez tremer toda a Montanha Caolha e deve ter sido ouvido em toda essa novela, até mesmo nos capítulos ainda não escritos...

El Calderon - Uauuuu!... Uaiiiiiiiiiiiiiiiiii!

Humber Too - Que foi El Calderon? Não gostou da surpresa, homem?

El Calderon - Mira...mira! Una cucaracha terríble!

Humber Too - Ora, El Calderon... É só uma baratinha!

El Calderon - Que cucaratita, que nada, hombre! Esa es una cosa pré-histórica!

Humber Too - Calma, El Calderon! Eu farei uma armadilha para matá-la!

El Calderon - Entonce haga luego...estoy muriendo de miedo!

Humber Too - Vocês têm aqui sal, cachaça e um lápis ou uma caneta?

El Calderon - Tenemos si... Tommy Kako, traga el sal, una botella de tequila y un lápiz ó un bolígrafo!

Humber Too - Também quero uma pequena pedra!

El Calderon - Tony Munz, me trae una pequeña piedra!

Narrador - Logo os asseclas de El Calderon trouxeram todo o material solicitado por Humber Too e entregaram a este. Humber Too colocou próximo das revistas um punhado de sal, derramou um pouco da tequila após o sal, uns cinco centímetros adiante colocou o lápis e depois deste a pedra. Remexeu nas revistas que El Calderon largara apavorado e ficou aguardando. Logo a barata saiu do meio das revistas, comeu o sal, pensando que era açúcar. Como o sal deu-lhe sede, bebeu a tequila pensando que era água. Assim, bêbada, ao subir no lápis, perdeu o equilíbrio e caiu, batendo com a cabeça na pedra, morrendo na mesma hora, de traumatismo craniano. El Calderon, ao ver a cena, de cima da cadeira que subira, exclamou:

El Calderon - Bravo, muchacho...muy engeñoso!

Humber Too - Obrigado, El Calderon... Isso eu aprendi com meu avô!

El Calderon - Nuestros avuelos son muy plenos de sabedoria! Bien, ya que la cucaracha ya murieó, vamos a los negócios!

Narrador - El Calderon, ainda temeroso, pegou as revistas...

El Calderon - Qué maravila, hombre! Aquí solo hay historietas de valor!

Humber Too - São da minha coleção particular, El Calderon! Tudo jóia rara da história universal dos comics! O pessoal de umas Listas chamadas "Apenas Ebal" e "Gibi-House", entre outras, dão o maior valor a estes personagens!

El Calderon - Ahora ya puedo completar mis coleciones de Blind Kid, Super-Blind, Bill Blind, Capitão Blind, Sir Blind Hood, Inspetor Blind, Batblind, Flêz Blind, Blindião, Blind Bondy y Blind Ness!

Humber Too - Estes personagens são criações do baiano Luís Campos, um ceguinho devasso que vive em AXé City!

El Calderon - Las nuevas y emocionantes historietas desarrolladas por esto escritor en la última década son magnificas!

Humber Too (Sorrindo amarelo) - Também acho... Ou penso que acho!

El Calderon - Muchas gracias, hombre! Como dicen usteds: "fico devendo esta!"

Humber Too - Ora, El Calderon... Estou sempre pronto a servir a um amigo!

El Calderon - Gracias, muchacho! Voy quedarme con esas revistas... Vamos escojer las armas que quieres!

Narrador - El Calderon e seus asseclas e Humber Too e seus comparsas foram até um quarto da cabana onde havia alguns caixotes compridos...

El Calderon - Aquí están las armas, Humber Too... ahora pienso que hasta nosotros usarmos la sagacidad para confundir lá brigada del Ejército e de los Vox Powers Rangers! Después de todo, lo futuro será otro para nosotros! Hahahahahaha!

Humber Too - Com certeza, El Calderon... E eles não terão coragem de subir esses morros! Kkkkkkkkk!

El Calderon - Pero antes de lanzarnos a la conquista del Viejo Oeste, devemos asegurarnos del control de los territorios Apa Axés!

Humber Too - Esses peles-vermelhas estão me devendo uma! Vou caçá-los como se procura um elefante num palheiro!

El Calderon - No piense que será algo fácil, teniendo en cuenta la inferioridad numérica de nuestros compañeros!
Sería bueno ir copando las posiciones enemigas poco a poco!

Humber Too - Mas é isso que penso fazer! Vou eleger uns 513 sujeitos, dentre os mais mentirosos, corruptos e safados que conheço, para formar a maior quadrilha que se tem notícia... E diária! Todos terão participação nas propinas, digo, nos lucros! Vou instituir um mensalão e, no nosso congresso anual, vamos cantar, dançar, beber e comer à vontade!

El Calderon - Gran idéia, hombre! Estoy seguro de que nuestros hermanos aceptarán con entusiasmo su misión. Que todo sea por el engrandecimiento de la patria!

Humber Too - Claro, El Calderon! Seremos a salvação da Pátria!

El Calderon - Estoy cierto, hombre... mas veya las armas!

Humber Too - Caramba! Todas têm a numeração raspada... Ótimo!

El Calderon - Claro, mi amigo! Así queda más difícil para el Ejército y los Rangers identificaren a nosotros!

Humber Too - É verdade, El Calderon!

Narrador - Humber Too escolheu quarenta rifles Win Xester e quarenta Koltt45, além de bastante munição. Depois saíram do quarto e Humber Too se despediu de El Calderon...

Humber Too - Até breve, El Calderon! Qualquer hora nos veremos... Quem sabe em um outro capítulo dessa novelinha, né?

El Calderon - Hasta luego, Humber Too! Es possíble, hombre! Ahora tengo que irme... voy atacar algun tren por ahí... despues de leer mis historietas, claro!

Humber Too - Boa sorte e ótima leitura amiga!

El Calderon - Buena suerte para usted también, amigo!

Narrador - Após essa despedida cheia de frescuras, Humber Too partiu com seus três comparsas em busca de novas aventuras, digo, de novos crimes...

Humber Too - Pronto rapazes! Agora estamos preparados para assaltar o Brass Hill Bank de Vox City! Kkkkkkkkkkkkkkk!

Ty Agoo - Kakakakakakakakaka!

Dady Vã - Akaakaakaakaakaaka!

Joseph Vã - Aakaakaakaakaakaakaakaak!

Humber Too - Antes de assaltarmos o banco, vamos dar uma passadinha no rancho da Syll Vyha... Quero ver como ela está! Estou troncho de saudade!

Ty Agoo - Vai ser uma boa, Chefe... Preciso tomar uma tinada! Desde que começou essa novelinha, nenhum personagem aqui tomou um banho... Nem mesmo o mocinho!

Humber Too - Ora, Ty... Acho que nem mesmo o autor gosta de tomar banho! Kkkkkkkkkkkkk!

Ty Agoo - Kakakakakakakakaka!

Dady Vã - Akaakaakaakaakaaka!

Joseph Vã - Aakaakaakaakaakaakaakaak!

Autor - Para o governo de vocês, seus bandidinhos de merda, eu tomo banho todos os meses, entenderam?

Humber Too - Eu não disse rapazes! Kkkkkkkkkkkkk!

Ty Agoo - Kakakakakakakakaka!

Dady Vã - Akaakaakaakaakaaka!

Joseph Vã - Aakaakaakaakaakaakaakaak!

Autor - (Eles não sabem o que lhes reservei!) Riam, hienas! Ri melhor, quem ri por último!

Humber Too - Nada disso, Senhor Autor! Ri por último quem demora para entender a piada! Kkkkkk!

Ty Agoo - Kakakakakakakakaka!

Dady Vã - Akaakaakaakaakaaka!

Joseph Vã - Aakaakaakaakaakaakaakaak!

Narrador - Depois de mais este festival de gracinhas sem graça, eles continuaram galopando em direção ao Rancho Olho de Gata, onde deverão chegar alguns capítulos adiante... Enquanto isso voltemos a Vox City...

Narrador - Debby Bora e Milly conversam com Odel Yta que, tristinha, confia sua dor às amigas e confidentes...

Odel - Puxa meninas... Eu pensei que tudo seria como dantes no quartel de Abrantes...

Milly - Que quartel é esse, Odel? Eu só conheço o dos Vox Powers Rangers...

Debby - Isso é só um dito popular, Milly!

Odel - Ora, Milly... Eu quero dizer que pensava em ter o Blind Kid novamente em meus braços!

Milly - Eu também...

Odel - Você também, o quê?

Milly - E-eu... Eu pensei que ele ficaria novamente com você, Odel! (Ufa! Consegui me safar dessa!).

Odel - Ah... pensei!

Milly - (Escapei por pouco!).

Debby - Disse alguma coisa, Milly?

Milly - Nada não... Apenas pensei alto!

Odel - E agora, meninas? O que faço?

Debby - Acalme-se, Odel... Logo a Kacy Mary irá embora e o Blind será todo seu!

Odel - Ele nunca foi todo meu, Debby... Você bem sabe disso!

Debby - Está querendo insinuar alguma coisa, Odel?

Odel - Não, Debby! Qual homem é de uma só mulher?

Milly - Eu sei de alguns, Odel!

Odel - Sabe, Milly? E onde estão esses homens perfeitos?

Milly - Na ficção, claro! Hahahahahahahaha!

Debby - Hahahahahhahahahah! Só podia ser Odel!

Odel - Hahahhahahahhahahah! Só assim eu rio um pouco!

Milly - Olhem meninas! O Blind Kid está beijando a Kacy Mary na boca!

Odel - Tomara que ele pegue sapinho!

Debby - Isso não existe, Odel!

Odel - Como não? Mamãe diz que beijar dá sapinho!

Milly - Eu também ouvia isso de Mamãe, Debby!

Debby - Ora, meninas... Vocês já estão bastante crescidinhas para acreditar em tudo que ouvem ou ouviram, né?

Milly - Eu não... Tenho só vinte e dois aninhos...

Odel - Que participa dessas novelinhas, né Milly?

Debby - Hahhahahhahahhahhaha!

Milly - Nada disso, Odel! Esta é a primeira novela desse Autor que faço... E será a última!

Debby - Por que isso, Milly?

Milly - Você ainda pergunta? Estamos no décimo segundo capítulo e ainda não beijei ninguém, Debbie!

Debby - Se você entrou nessa novela com essa intenção, está lenhada, Milly!

Milly - Por que você diz isso, Debby?

Debby - Porque esse Autor só escreve novelas abestalhadas...

Milly - Ainda não entendi Debby!

Debby - Vocês ainda não perceberam que o cara escreve mal pra caramba?

Odel - Também não é tanto assim, Debby!

Debby - Como não? Cadê a ação? Já notaram como os diálogos são fracos e sem sentido? Cadê o romantismo?

Odel - Não exagere Debby!

Debby - E tem mais... Só um cego para não perceber minha maravilhosa interpretação nesta novelinha...

Milly - Sua o quê?

Debby - Minha Esplendorosa interpretação, Milly!

Autor - Eu não queria intrometer-me nessa conversa, mas você mexeu com meus brios, Senhora Debby! Se eu soubesse que você era essa canastrona toda, não atenderia ao pedido do seu tio para contratá-la!

Debby - Meu tio me indicou por saber que sou uma excelente atriz, Senhor Autor... Seus diálogos é que não prestam!

Autor - Claro... Para uma atriz do seu quilate, qualquer texto é ruim!

Debby - Saiba que a Escola de Arte Dramática que fiz meu curso é a melhor do mundo!

Autor - Sei... Tenho aqui seu diploma... "Fábrica de Artes Cênicas e afins por Correspondência, Ser ou não ser"!

Debby - Olhe aqui, seu autorzinho medíocre... Se continuar enchendo meu saquinho, saio dessa porcaria de novela!

Autor - Garanto que não fará falta, Senhora Debby... Ninguém notará sua ausência!

Debby - Então pague meus cachês atrasados que eu saio numa boa!

Autor - Calma... Eu estava só brincando! Você continuará interpretando a jornalista da minha novelinha... A Senhora é muito boa nisso!

Debby - Sei, sei... Quando mexe em seu bolso, a coisa muda de figura!

Autor - Esqueça isso e volte a sua estupenda interpretação!

Narrador - Com essa, creio que será melhor encerrar este capítulo! Rê rê rê!

Avaliação deste Artigo: 5 estrelas
COMPARTILHE

DeliciusDelicius     DiggDigg     FacebookFacebook     GoogleGoogle     LinkedInLinkedIn     MySpaceMySpace     TwitterTwitter     Windows LiveWindows Live

AVALIE O ARTIGO





INDIQUE ESTE ARTIGO PARA UM AMIGO










0 COMENTÁRIOS
ENVIE SEU COMENTÁRIO

Preencha todos os dados abaixo e clique em Enviar comentário.



(seu e-mail não será divulgado)


Os conceitos e opiniões emitidos em artigos assinados são de inteira responsabilidade dos autores.