Logotipo do Planeta Educação

Fazer busca detalhada


placeholder for flash movie

Aprender com as Diferenças
 

As Novas Tecnologias e as Tecnologias Assistivas - 10/08/2006
Utilizando os Recursos de Acessibilidade na Educação

Anais do III Congresso Ibero-Americano de Informática na Educação Especial, Fortaleza, MEC, 2002.

Teófilo Alves Galvão Filho
Luciana Lopes Damasceno
www.infoesp.net

I - As Tecnologias de Informação e Comunicação - TICs e as Tecnologias Assistivas

Como destacou Vygotsky, é sumamente relevante para o desenvolvimento humano o processo de apropriação, por parte do indivíduo, das experiências presentes em sua cultura. O autor enfatiza a importância da ação, da linguagem e dos processos interativos na construção das estruturas mentais superiores (VYGOTSKY, 1987). O acesso aos recursos oferecidos pela sociedade, escola, tecnologias, etc., influencia determinantemente nos processos de aprendizagem da pessoa.

Entretanto, as limitações do indivíduo com deficiência tendem a tornar-se uma barreira a este aprendizado. Desenvolver recursos de acessibilidade seria uma maneira concreta de neutralizar as barreiras causadas pela deficiência e inserir esse indivíduo nos ambientes ricos para a aprendizagem, proporcionados pela cultura.

Outra dificuldade que as limitações de interação trazem consigo são os preconceitos a que o indivíduo com deficiência está sujeito. Desenvolver recursos de acessibilidade também pode significar combater esses preconceitos, pois, no momento em que lhe são dadas às condições para interagir e aprender, explicitando o seu pensamento, o indivíduo com deficiência mais facilmente será tratado como um "diferente-igual"... Ou seja, "diferente" por sua condição de pessoa com deficiência, mas ao mesmo tempo "igual" por interagir, relacionar-se e competir em seu meio com recursos mais poderosos, proporcionados pelas adaptações de acessibilidade de que dispõe. É visto como "igual", portanto, na medida em que suas "diferenças", cada vez mais, são situadas e se assemelham com as diferenças intrínsecas existentes entre todos os seres humanos. Esse indivíduo poderá, então, dar passos maiores em direção à eliminação das discriminações, como conseqüência do respeito conquistado com a convivência, aumentando sua auto-estima, porque passa a poder explicitar melhor seu potencial e pensamentos.

É sabido que as novas Tecnologias de Informação e Comunicação - TICs vêm se tornando, de forma crescente, importantes instrumentos de nossa cultura e, sua utilização, um meio concreto de inclusão e interação no mundo (LEVY, 1999).

Essa constatação é ainda mais evidente e verdadeira quando nos referimos as pessoas com deficiência.
Nesses casos, as TICs podem ser utilizadas ou como Tecnologia Assistiva, ou através de Tecnologias Assistivas.

Utilizamos as TICs como Tecnologia Assistiva quando o próprio computador é a ajuda técnica para atingir um determinado objetivo. Por exemplo, o computador utilizado como caderno eletrônico, para o indivíduo que não consegue escrever no caderno comum de papel.

Por outro lado, as TICs são utilizadas através de Tecnologias Assistivas, quando o objetivo final desejado é a utilização do próprio computador, para o que são necessárias determinadas ajudas técnicas que permitam ou facilitem esta tarefa.

Por exemplo, adaptações de teclado, de mouse, software especiais, etc.
Definindo, Tecnologia Assistiva é toda e qualquer ferramenta ou recurso utilizado com a finalidade de proporcionar uma maior independência e autonomia à pessoa com deficiência.

O objetivo da Tecnologia Assistiva é:

"Proporcionar à pessoa portadora de deficiência maior independência, qualidade de vida e inclusão social, através da ampliação da comunicação, mobilidade, controle do seu ambiente, habilidades de seu aprendizado, competição, trabalho e integração com a família, amigos e sociedade."... "Podem variar de um par de óculos ou uma simples bengala a um complexo sistema computadorizado”.
(http://www.clik.com.br/ta_01.html).

Sobre esses "sistemas computadorizados", ou seja, as novas TICs utilizadas ou como, ou através de Tecnologias Assistivas, em processos de ensino e aprendizagem, é que queremos tratar aqui.
As diferentes maneiras de utilização das TICs como Tecnologia Assistiva têm sido sistematizadas e classificadas das mais variadas formas, dependendo da ênfase que quer dar cada pesquisador.
Nós, aqui, optamos por utilizar uma classificação que divide essa utilização em quatro áreas (SANTAROSA, 1997):

  • As TICs como sistemas auxiliares ou prótese para a comunicação.
  • As TICs utilizadas para controle do ambiente.
  • As TICs como ferramentas ou ambientes de aprendizagem.
  • As TICS como meio de inserção no mundo do trabalho profissional.

1. As TICs como sistemas auxiliares ou prótese para a comunicação, talvez esta seja a área onde as TICs tenham possibilitado avanços mais significativos. Em muitos casos o uso dessas tecnologias tem se constituído na única maneira pela qual diversas pessoas podem comunicar-se com o mundo exterior, podendo explicitar seus desejos e pensamentos.
Essas tecnologias tem possibilitado a otimização na utilização de Sistemas Alternativos e Aumentativos de Comunicação (SAAC), com a informatização dos métodos tradicionais de comunicação alternativa, como os sistemas Bliss, PCS ou PIC, entre outros.
Fernando Cesar Capovilla, pesquisando na área de diagnóstico, tratamento e reabilitação de pessoas com distúrbios de comunicação e linguagem, faz notar que:

"Já temos no Brasil um acervo considerável, e em acelerado crescimento, de recursos tecnológicos que permitem aperfeiçoar a qualidade das interações entre pesquisadores, clínicos, professores, alunos e pais na área da Educação Especial, bem como de aumentar o rendimento do trabalho de cada um deles." (CAPOVILLA, 1997).

2. As TICs, como Tecnologia Assistiva, também são utilizadas para controle do ambiente, possibilitando que a pessoa com comprometimento motor possa comandar remotamente aparelhos eletrodomésticos, acender e apagar luzes, abrir e fechar portas, enfim, ter um maior controle e independência nas atividades da vida diária.

3. As dificuldades de muitas pessoas com necessidades educacionais especiais no seu processo de desenvolvimento e aprendizagem têm encontrado uma ajuda eficaz na utilização das TICs como ferramenta ou ambiente de aprendizagem. Diferentes pesquisas têm demonstrado a importância dessas tecnologias no processo de construção dos conhecimentos desses alunos (NIEE/UFRGS, NIED/UNICAMP, CRPD/OSID e outras).

4. E, finalmente, pessoas com grave comprometimento motor vêm podendo tornar-se cidadãs ativas e produtivas, em vários casos garantindo o seu sustento, através do uso das TICs.

Com certa freqüência essas quatro áreas se relacionam entre si, podendo determinada pessoa estar utilizando as TICs com finalidades presentes em duas ou mais dessas áreas. É o caso, por exemplo, de uma pessoa com problemas de comunicação e linguagem que utiliza o computador como prótese de comunicação e, ao mesmo tempo, como caderno eletrônico ou em outras atividades de ensino-aprendizagem.

II - Utilizando os Recursos de Acessibilidade na Educação Especial

Nosso interesse específico aqui, em função dos objetivos educacionais do nosso trabalho, no Programa "Informática na Educação Especial" do Centro de Reabilitação e Prevenção de Deficiências (CRPD), em Salvador-Bahia (http://infoesp.vila.bol.com.br), é apresentar um pouco mais detalhadamente algumas Tecnologias Assistivas, alguns recursos de acessibilidade, utilizados para atingir as finalidades discriminadas na área 3, ou seja, as TICs como ferramentas ou ambientes de aprendizagem, na Educação Especial e Inclusiva.
Conforme tem sido detectado:

"A importância que assumem essas tecnologias no âmbito da Educação Especial já vem sendo destacada como a parte da educação que mais está e estará sendo afetada pelos avanços e aplicações que vêm ocorrendo nessa área para atender necessidades específicas, face às limitações de pessoas no âmbito mental, físico-sensorial e motoras com repercussão nas dimensões sócio-afetivas." (SANTAROSA, 1997).

No nosso trabalho educacional, portanto, utilizamos adaptações com a finalidade de possibilitar a interação, no computador, a alunos com diferentes graus de comprometimento motor, sensorial e/ou de comunicação e linguagem, em processos de ensino-aprendizagem.
Essas adaptações podem ser de diferentes ordens, como, por exemplo:

"...adaptações especiais, como tela sensível ao toque, ou ao sopro, detector de ruídos, mouse alavancado a parte do corpo que possui movimento voluntário e varredura automática de itens em velocidade ajustável, permitem seu uso por virtualmente todo portador de paralisia cerebral qualquer que seja o grau de seu comprometimento motor (Capovilla, 1994)."
(Magalhães, Leila N.A.P.in http://www.c5.cl/ieinvestiga/actas/ribie98/111.html ).

Nós classificamos os recursos de acessibilidade que utilizamos em três grupos:

  • Adaptações físicas ou órteses.

São todos os aparelhos ou adaptações fixadas e utilizadas no corpo do aluno e que facilitam a interação do mesmo com o computador.

  • Adaptações de hardware.

São todos os aparelhos ou adaptações presentes nos componentes físicos do computador, nos periféricos, ou mesmo, quando os próprios periféricos, em suas concepções e construção, são especiais e adaptados.

  • Softwares especiais de acessibilidade.

São os componentes lógicos das TICs quando construídos como Tecnologia Assistiva. Ou seja, são os programas especiais de computador que possibilitam ou facilitam a interação do aluno portador de deficiência com a máquina.

1 - Adaptações Físicas ou Órteses

Quando buscamos a postura correta para um aluno com deficiência física, em sua cadeira adaptada ou de rodas, utilizando almofadas, ou faixas para estabilização do tronco, ou velcro, etc., antes do trabalho no computador, já estamos utilizando recursos ou adaptações físicas muitas vezes bem eficazes para auxiliar no processo de aprendizagem dos alunos. Uma postura correta é vital para um trabalho eficiente no computador.
Alguns alunos portadores de paralisia cerebral têm o tônus muscular flutuante (atetóide), fazendo com que o processo de digitação se torne lento e penoso, pela amplitude do movimento dos membros superiores na digitação. Um recurso que utilizamos é a pulseira de pesos que ajuda a reduzir a amplitude do movimento causado pela flutuação no tônus, tornando mais rápida e eficiente a digitação. Os pesos na pulseira podem ser acrescentados ou diminuídos, em função do tamanho, idade e força do aluno. O aluno Elsimar, por exemplo, utiliza a capacidade total de pesos na pulseira devido à intensidade da flutuação de seu tônus e também porque sua complexão física assim o permite.

Pulseira de Pesos
Elsimar com Pulseira e Teclado Fixado

Pulseira de Pesos


Pulseira de Pesos

Outra órtese que utilizamos é o estabilizador de punho e abdutor de polegar com ponteira para digitação, para alunos, principalmente com paralisia cerebral, que apresentam essas necessidades (estabilização de punho e abdução de polegar).

Estabilizador de Punho e Abdutor de Polegar

Com Ponteira para Digitação

Além dessas adaptações físicas e órteses que utilizamos, existem várias outras que também podem podem ser úteis, dependendo das necessidades específicas de cada aluno, como os ponteiros de cabeça, ou hastes fixadas na boca ou queixo, quando existe o controle da cabeça, entre outras.


Haste Fixada na Cabeça para Digitação

Foto: Catálogo da Empresa Expansão

 

2 - Adaptações de Hardware

Um dos recursos mais simples e eficientes como adaptação de hardware é a máscara de teclado (ou colméia). Trata-se de uma placa de plástico ou acrílico com um furo correspondente a cada tecla do teclado, que é fixada sobre o teclado, a uma pequena distância do mesmo, com a finalidade de evitar que o aluno com dificuldades de coordenação motora pressione, involuntariamente, mais de uma tecla ao mesmo tempo. Esse aluno deverá procurar o furo correspondente à tecla que deseja pressionar.

Máscara de Teclado encaixada no mesmo
Máscara de Teclado sobreposta ao mesmo

Alunos com dificuldades de coordenação motora associada à deficiência mental também podem utilizar a máscara de teclado junto com "tampões" de papelão ou cartolina, que deixam à mostra somente as teclas que serão necessárias para o trabalho, em função do software que será utilizado. Desta forma, será diminuído o número de estímulos visuais (muitas teclas), que podem tornar o trabalho muito difícil e confuso para alguns alunos, por causa das suas dificuldades de abstração ou concentração. Vários tampões podem ser construídos, disponibilizando diferentes conjuntos de teclas, dependendo do software que será utilizado.

Máscara de Teclado com poucas Teclas Expostas

Teclado com Máscara Coberta

Outras adaptações simples que podem ser utilizadas, dizem respeito ao próprio posicionamento do hardware.

Por exemplo, nosso aluno Mércio, que digita utilizando apenas uma mão, em certa etapa de seu trabalho e com determinado software que exigia que ele pressionasse duas teclas simultaneamente, descobriu ele mesmo que, se colocasse o teclado em seu colo na cadeira de rodas, ele poderia utilizar também a outra mão para segurar uma tecla (tecla Ctrl), enquanto pressionava a outra tecla com a outra mão.

Já o aluno Raimundo está começando agora a conseguir utilizar o mouse para pequenos movimentos (utilização combinada com um simulador de teclado) com a finalidade de escrever no computador, colocando o mouse posicionado em suas pernas, sobre um livro ou uma pequena tábua.

Posicionamento do Mouse no Colo do aluno

Teclado com Alteração na Inclinação e fixado à Mesa

 

Outra solução que utilizamos é reposicionar o teclado perto do chão para digitação com os pés, recurso utilizado por uma aluna que não consegue digitar com as mãos. E assim, diversas variações podem ser feitas no posicionamento dos periféricos para facilitar o trabalho do aluno, sempre, é claro, em função das necessidades específicas de cada aluno.


Teclado Reposicionado para Digitação com o Pé

Além dessas adaptações de hardware que utilizamos, existem muitas outras que podem ser encontradas em empresas especializadas, como acionadores especiais, mouses adaptados, teclados especiais, além de hardwares especiais como impressoras Braille, monitores com telas sensíveis ao toque, etc. (ver outras referências no final).

3 - Softwares Especiais de Acessibilidade

Um dos recursos mais úteis e facilmente disponível, mas muitas vezes ainda desconhecido, são as "Opções de Acessibilidade" do Windows (Iniciar - Configurações - Painel de Controle - Opções de Acessibilidade). Através desse recurso, diversas modificações podem ser feitas nas configurações do computador, adaptando-o a diferentes necessidades dos alunos.

Por exemplo, um aluno que, por dificuldades de coordenação motora, não consegue utilizar o mouse, mas pode digitar no teclado (o que ocorre com muita freqüência), tem a solução de configurar o computador, através das Opções de Acessibilidade, para que a parte numérica à direita do teclado realize todos os mesmos comandos na seta do mouse que podem ser realizados pelo mouse.

Além do mouse, outras configurações podem ser feitas, como a das "Teclas de Aderência", a opção de "Alto Contraste na Tela" para pessoas com baixa visão, e outras opções.

Outro exemplo de Software Especial de Acessibilidade são os simuladores de teclado e de mouse. Todas as opções do teclado ou as opções de comando e movimento do mouse podem ser exibidas na tela e selecionadas, ou de forma direta, ou por meio de varredura que o programa realiza sobre todas as opções.

Para as necessidades de nossos alunos, encontramos na Internet o site do técnico espanhol Jordi Lagares, no qual ele disponibiliza para download diversos programas freeware por ele desenvolvidos. Trata-se de simuladores que podem ser operados de forma bem simples, além de serem programas muito "leves" (menos de 1 MB: endereço no final). Através desse simulador de teclado e do simulador de mouse, um aluno, por exemplo, com 37 anos, pôde começar a trabalhar no computador e pode, agora, expressar melhor todo o seu potencial cognitivo, iniciando a aprender a ler e escrever. Esse aluno, que é tetraplégico, só consegue utilizar o computador por meio desses simuladores, que lhe possibilitam transmitir seus comandos no computador somente através de sopros em um microfone. Isto lhe tem permitido, pela primeira vez na vida, escrever, desenhar, jogar e realizar diversas atividades que antes lhe eram impossíveis. Ele começa, agora, a tentar usar o mouse sobre as pernas para pequenos movimentos. Ou seja, horizontes totalmente novos se abriram para ele, possibilitando que sua inteligência, antes aprisionada em um corpo extremamente limitado, encontrasse novos canais de expressão e desenvolvimento.

O Microfone é fixado à Cabeça
Todos os Periféricos são reposicionados para facilitar o trabalho.

Comandando o Computador com Sopros no Microfone.

Esses simuladores podem ser acionados não só por meio de sopros, mas também por pequenos ruídos ou pequenos movimentos voluntários feitos por diversas partes do corpo, e até mesmo por piscadas ou somente o movimento dos olhos.

Existem outros sites na Internet que disponibilizam gratuitamente outros simuladores e programas especiais de acessibilidade, como o site da Rede Saci.

Como softwares especiais para a comunicação, existem as versões computadorizadas dos sistemas tradicionais de comunicação alternativa como o Bliss, o PCS ou o PIC.

Para pessoas com deficiência visual existem os softwares que "fazem o computador falar":

"Também os cegos já podem utilizar sistemas que fazem a leitura da tela e de arquivos por meio de um alto-falante; teclados especiais que têm pinos metálicos que se levantam formando caracteres sensíveis ao tato e que "traduzem" as informações que estão na tela ou que estão sendo digitadas e impressoras que imprimem caracteres em Braille." (FREIRE, 2000).

Para os cegos existem programas como o DOSVOX, o Virtual Vision, o Bridge, Jaws e outros.

III - Conclusões

Além de todos estes recursos de acessibilidade que apresentamos, existem outros tipos e dimensões de acessibilidade que também são pesquisados e estudados por outros profissionais, como as pesquisas sobre Acessibilidade Física, que estuda as barreiras arquitetônicas para o portador de deficiência e as formas de evitá-las (por exemplo, a Comissão Civil de Acessibilidade, aqui mesmo de Salvador).

Outro conceito novo é o conceito de Acessibilidade Virtual, que estuda as melhores maneiras de tornar a Internet acessível a todas as pessoas (Rede Saci).

É importante ressaltar que a decisão sobre os recursos de acessibilidade que serão utilizados com os alunos, tem que partir de um estudo pormenorizado e individual, com cada aluno. Deve começar com uma análise detalhada e escuta aprofundada de suas necessidades, para, a partir daí, ir optando pelos recursos que melhor respondem a essas necessidades. Em alguns casos é necessária também a escuta de outros profissionais, como terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas, antes da decisão sobre a melhor adaptação. Todas as pesquisas, estudos e adaptações que fomos construindo ou captando em nosso Programa ao longo dos anos, partiram das necessidades concretas dos nossos alunos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CAPOVILLA, Fernando C. Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Recursos Tecnológicos para Educação Especial: Boas Novas para Pesquisadores, Clínicos, Professores, Pais e Alunos. Boletim Educação/ UNESP, n. 1, 1997.

FREIRE, Fernanda M. P. Educação Especial e Recursos da Informática: Superando Antigas Dicotomias. Biblioteca Virtual, Artigos e Textos, PROINFO/MEC, 2000, www.proinfo.gov.br .

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo, Ed. 34, 1999.

SANTAROSA, Lucila M.C. "Escola Virtual" para a Educação Especial: Ambientes de Aprendizagem Telemáticos Cooperativos como Alternativa de Desenvolvimento. Revista de Informática Educativa, Bogotá/Colômbia, UNIANDES, 10(1): 115-138 1997.

VYGOTSKY, L. A Formação Social da Mente. SP, Martins Fontes, 1987.

WEBSITES REFERENCIADOS OU COM TEMÁTICA AFIM

NOTA: O presente trabalho também se encontra publicado, no formato PDF, na BIBLIOTECA VIRTUAL do Programa Nacional de Informática na Educação (PROINFO/MEC), seção “Artigos e Textos”, página 2, no seguinte endereço:
http://www.proinfo.mec.gov.br

APRESENTAÇÃO DOS AUTORES

Teófilo Alves Galvão Filho
Mestre e Doutorando em Educação, pela Universidade Federal da Bahia – UFBa.
Especialista em Informática na Educação, pela Universidade Federal de Alagoas - UFAL.
Engenheiro, graduado pela Universidade Católica de Pelotas - UCPel / RS.
Consultor da Secretaria de Educação e Cultura do Estado da Bahia - SEC/Ba.
Pesquisador, com apoio da FAPESB - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, no projeto de implantação do Centro de Referência em Tecnologias Assistivas e Acessibilidade, junto à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) do Estado da Bahia, como Diretor Técnico do Centro.
Coordenador do Programa "Informática na Educação Especial", das Obras Sociais Irmã Dulce (www.infoesp.net).
Professor da UNIME e em diferentes cursos de Pós-Graduação no Estado da Bahia.

Luciana Lopes Damasceno
Pedagoga pela Universidade Federal da Bahia.
Componente da Equipe do Programa InfoEsp há 11 anos.
Pesquisadora na Área de Educação de Pessoas com Deficiência em Ambiente Computacional e Telemático e também na Área do Desenvolvimento, Uso e Captação de Tecnologias Assistivas em Ambiente Computacional.
Pedagoga do Instituto de Cegos da Bahia desde o ano de 2000.
Especialista em "Projetos Educacionais e Informática" pelo Centro de Estudos de Pós-Graduação Olga Mettig - CEPOM/FEBA.
Especialista em "Alfabetização Infantil" pela Universidade do Estado da Bahia – UNEB.
Trabalha há mais de 15 anos na Educação de Pessoas com Necessidades Educacionais Especiais.

Avaliação deste Artigo: 4 estrelas
COMPARTILHE

DeliciusDelicius     DiggDigg     FacebookFacebook     GoogleGoogle     LinkedInLinkedIn     MySpaceMySpace     TwitterTwitter     Windows LiveWindows Live

AVALIE O ARTIGO





INDIQUE ESTE ARTIGO PARA UM AMIGO










48 COMENTÁRIOS

1 Ana Lúcia Toloi - Guaraci Pr
Por favor, preciso montar uma sala de informática na APAE da minha cidade, adorei o trabalho de vocês. Quem poderia estar me auxiliando com relação as adaptações e programas. Aguardo resposta
10/05/2013 14:15:20


2 Ana Dalva da Silva - Formiga MG
Sou tetraplégica tenho apenas movimento leve na mão direita e punho.Tenho dificuldades de digitar quando tenho que apertar duas teclas, o que me sugerem?
14/04/2013 22:53:45


3 Maiara Fróes Pires - São José dos Campos
Gostei muito,de tudo o que eu li...Queria poder conversar com alguma pessoa tetraplégica,mas não conheço nenhuma.Se possível, alguém puder me indicar, ou passar o email de alguém eu agradeceria.Queria conversar, mesmo para entender um pouco essas pessoas, que mesmo iguais a nós, são especias em todos os lugares... Obrigadaaa e um beijo para todos!!!
19/01/2013 16:15:42


4 Maiara Fróes Pires - São José dos Campos
Gostei muito,de tudo o que eu li...Queria poder conversar com alguma pessoa tetraplégica,mas não conheço nenhuma.Se possível, alguém puder me indicar, ou passar o email de alguém eu agradeceria.Queria conversar, mesmo para entender um pouco essas pessoas, que mesmo iguais a nós, são especias em todos os lugares... Obrigadaaa e um beijo para todos!!!
19/01/2013 16:15:23


5 denise da silva vieira - rubiácea
adorei esse site muito explicativo,me ajudou muito pois estava pesquisando sobre o assunto,para um trabalho da faculdade e tambem sou estagiária de uma criança especial...
23/10/2012 12:51:50


6 Cátia CristinaRodrigues - Recife
Bom dia. Parabéns pela matéria.Tenho um amigo que sofreu um acidente quando praticava surf.Ficou com tetraplegia. Seria ideal a Haste Fixada na Cabeça para Digitação? Ele tem um grande desejo de ultilizar o computador sem ajuda de outra pessoa. Mora em um hospital desde que ocorreu o acidente´. Há 6 anos. Por favor, gostaria muito de ajudálo. Segue o depoimento do paciete. http://www.youtube.com/watch?v0E4o8i6vmww
18/10/2012 10:38:25


7 Maria Ivanilde Rocha - Araçatuba SP
Gostei muito do artigo pois estou fazendo um curso sobre tecnologias assistivas.
08/10/2012 11:26:38


8 Ana Maria de Oliveira Rosa - BarretosSão Paulo
Amei este blog,minha curiosidade em ler sobre o especial é muito grande, hoje pesquisando a internet,encontrei este blog ,gostaria de saber mais,principalmente como trabalhar na tecnologia sssistiva com aluno com sindrome de DOW ,sem precisar usar lapis e caderno.abraços.
10/09/2012 16:14:15


9 Caroline - São Joaquim da Barra
Adorei Parabéns pra vcs ficou mto bom... Vlw...
26/04/2012 16:06:57


10 Lucineia de Paula Ferreira - São José dos Campos
Tenho um filho de 6anos ele é hemiparético direito,gostaria de saber se existe alguma ortese em espuma para auxiliar ele escrever com a direita ele não tem movimento de pinça, ele escreve muito mal com a canhota gostaria de fazer algo para tentar que ele use a direita obrigada
16/12/2011 12:25:22


11 Tatenai frank ramos de souza - brodowski
sou tetraplégico mais tenho o movimento um pouco dos braços mail so dos braços da mão e dos dedos eu não tenho já comprei o estabilizador de punhos e não deu certo, o adaptador que coloca na cabeça dava certo mais é muito caro e eu não posso comprar o que vocÊs me sugeria num preço rasuavel.
18/03/2011 12:35:37


12 vander - Morrinhosgo
olá, sou portador de esclerose lateral amiotrófica, meus dedos já está começando a enrrolar, prevendo o futuro, quero comprar o adaptador de teclado colmeia, vcs tem? ou o teclado completo se tiver favor mandar o valor de cada um, muito agradecido...
04/03/2011 13:02:55


13 maria de fatima - santa maria
gostaria de saber se as escolas estaduais teriam direito aos equipamentos de informatica para portadores de pc e como fazer para obter esta ajuda
09/01/2011 01:21:55


14 Alberto Santos - Assaré
Nossa! Que trabalho maravilhoso! Fiquei arrepiado quando vi este trabalho, pois as pessoas devem ser muito bem capacitadas para desenvolver esta tarefa e com certeza ter muito amor humano. Parabéns!!!
14/06/2010 21:38:52


15 juliana ferreira - marmeleiroparaná
olá,eu tenho um filho com problema e se vcs puderem dar algum alssilio ajudem meu filinho ........bjjsssss desde jah bgd..!!!!!..!!..!.
12/06/2010 13:22:29


16 juliana ferreira - marmeleiroparaná
olá, isso que eu vou escrever talvez ñao seja um coemtario,BEM EU TENHO UM FILHO QUE ÑAO ANDA E A JENTE PRESISA DE UM AUSSILIO...ALGO POSSA AJUDAR POR EXEMPLO UM COMPUTADOR PRA ELE
12/06/2010 13:10:21


17 Dowglas Azevedo M. Sandes - Belo Horizonte MG
Esses itens são muitos bons,são show de bola,estes alunos são espetaculares,estão de parabéns !!!
07/06/2010 20:43:27


18 Marcos Schilling Martins - Gravataí
Estou muito contente com o trabalho de vocês. Gostaria que todas as escolas que de alguma forma trabalham com a inclusão, tivessem em seus laboratórios de informática, alguns computadores adaptados aos alunos que estas, dizem estar incluídos.
10/04/2010 23:42:27


19 rogerio martins - porto alegre
deveria esplicar como fazer para adaptar o computador tudo por etapas
29/03/2010 08:44:27


20 Neuman Silva - AraújosMG
Sou Vereador em minha cidade, e gostei muito de ver este artigo sobre o projeto de vocês. Gostaria de saber como fazer para conseguir estabilizadores,adaptadores,teclados,colméia,softwares,etc. Está sendo feito um trabalho muito bonito na APAE de nossa cidade com a introdução da computação para os alunos especiais,{alunos com deficiência motora,visual,mental} e os educandos estão encontrando dificuldades por falta de materiais específicos para seus trabalho. Gostaria de saber se é possivel fazer algum tipo de convênio para a APAE de nossa cidade estar recebendo estes equipamentos. Obrigado, aguardo resposta.
24/03/2010 10:10:11


21 adriana campo - porto alegre
Maravilho o trabalho de voces, que Deus continue iluminando os seeus caminho.Tenho um filho d nove anos com sindrome de cickeine e apresenta ataxia,ele tem o cognitivo preservado,gostaria de saber onde consigo um mause para adaptar,sei existe um ,com o qual a pessoa da uma batida para clicar. muito origada
02/02/2010 22:42:55


22 Rosangela M. Sarmento - Rio de Janeiro
Conhecer este site http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo622 me ajudou na minha pesquisa para um trabalho no curso que estou participando e abriu meu universo acerca do tema já que meu conhecimento era reduzido. estou muito surpreendida com o progresso que uma pesssoa pode alcançar apesar de suas deficiências
31/01/2010 12:28:06


23 simone nascimento - Itabuna
excelente projeto, me ajudor a concluir um trab. da faculdade parabens
21/09/2009 10:30:58


24 ANA LUCIA DE ANDRADE - DELMIRO GOUVEIA ALAGOAS
NOSSA ACHEI O MÁXIMO ESSAS PESSOAS ESPECIAIS USANDO O COMPUTADOR.
08/07/2009 14:31:40


25 Rosemari dos Santos Valvassore - São Paulo
Li o artigo de vocês e gostaria de cumprimentálos pelo trabalho tenho uma filha especial de 37 anos, com Spindrome de Angelman, muito ligada em computador, embora não fale e nem lê. Ela adora imagens , fotos, figuras. Gostaria de mais informações onde adquirir um materal adequado para ela e um teclado mais facilitado, para que ela pudesse manuseálo. Ela já sabe, por exemplo, que para voltar a imagem que ela está vendo, basta dar um click no teclado e ela fica muito feliz. Parabéns e aguardo informaççoes. Rosemari
17/06/2009 11:56:18


26 isabelle clara - Ecoporanga
sou coordenadora de educ. especial em meu município e gostaria de saber se existe formas de obter essas adaptações gratuitamente e como conseguir o endereço de quem fabrica essas tecnologias e o preço delas. obrigado esse site foi uma maravilhosa surpresa, parabéns!
15/04/2009 15:33:04


27 Ivonete Maciel - Aberlardo Luz
Sou professora de um aluno de inclusão e gostaria de saber onde posso encontrar as máscaras para teclado do computador. Por favor se tiverem essa informação envie para meu email. obrigada. Obs: É maravilhoso saber que tem pessoas que tem interesse em melhorar a vida de outras pessoas. Parabéns.
22/10/2008 19:30:10


28 nadjabrandao - joão pessoa
tamanha é a minha felicidade oa ver pessoas com dedicação nesta área porque o amor prevalece ao exercer este trabalho com o próximo.
24/09/2008 10:26:20


29 Angela Maria Oliveira Da Silva - Volta Redonda
Parabéns pelo projeto. Se todos tivessem essa atitude de tornar mais fácil a vida do próximo, concerteza não estaríamos num mundo tão egoísta com estamos hoje.Mas graças a Deus ainda temos pessoas que lutam por um mundo melhor.
13/09/2008 15:27:18


30 Roberto D´elia - são paulo - sp
Que trabalho fantástico o de todos estes técnicos e engenheiros para dar apoio aos deficientes. Todo esse arduo trabalho p/ desenvolver equipamentos de adaptação para os deficientes, passa despercebido por essa mídia tupiniquim que só veicula futilidades tais como futebol, formula 1 etc.. Qual é a contribuição que um futil - inutil chutador de bola oferece para a sociedade??
16/06/2008 14:39:06


31 Fernanda Aparecida de Oliveira Freitas - confins
tenho uma filha com paralisia cerebral de 5 anos e gostaria de saber onde consigo um computador especial para ela!pois ela precisa de adaptações,por favor me responda!!! adorei o site,vocês estão de parabéns!!!vou deixar meu numero por favor entre em contato:(031) 98251935
11/06/2008 09:55:35


32 Maria Angelica B Moreira - Salvador - Ba
Expandir com essas adaptações é um gesto digno de um verdadeiro ser humano. Todos precisam de oportunidaes e esse trabalho de integração ao proximo ( especial) é um verdadeiro gesto de solidariedade. Parabéns
14/03/2008 21:50:56


33 Morgana Chaves Castor - Campina Grande/PB
Adorei a matéria, tenho um filho com paralisia cerebral tem 10 anos e gostaria de saber de vcs como devo adaptar um teclado para ele ou onde devo encontrar mais informações.Boa Sorte para vcs parabéns por tão maravilhosa matéria.
27/02/2008 13:32:35


34 ROSALIA L S BARROS - CAPIM BRANCO - MG
ADOREI O SITE, AS MATÉRIAS. SÓ HOJE TOMEI CONHECIMENTO DELE, SOU MÃE DE CRIANÇA COM NECESSIDADES ESPECIAIS E ESTAREI SEMPRE LIGADA COM VCS POIS SERÁ MUITO ÚTIL. ACHO QUE DEVERIA SER BEM DIVULGADO NAS ESCOLAS POIS TEMOS BASTANTE DIFICULDADE DE INFORMAÇÃO. PARABÉNS!
08/01/2008 13:44:14


35 roberta morcelles - joinville
gostaria de deixar os meus parabens pelo trabalho, que me ajudou muito na conclusao de eu projeto de inclusao nas escolas que eu fiz na faculdade, e gotaria de resaltar que mesmo sabendo que essa iniciativa é linda, nao esta sendo facil de coloca-la em pratica, faltam no mercado de trabalho colobaradores, sendo professores, diretores, governo ou municipio, orientadores, enfim pessoas responsaveis dispostar a se interagir com o assunto e incluir de verdade os deficientes nas salas de aula, falta iniciativa, amor e informaçao.
25/11/2007 17:38:52


36 Adna Macedo - SP
Gostaria de saber se vcs tem adaptadores para usuários com escrita com os pés
14/11/2007 11:33:42


37 joicy elen - Mocajuba
Adorei o artigo que voces fizeram. È fantástico!È bom saber que existem pessoas como voces que lembram das pessoas com necesidades especiais
24/09/2007 21:06:21


38 Marcia Pitta Becker - Porto Alegre/RS
Parabéns, pessoal! O empenho, a doação de vocês é mágica.... Todos os seres humanos deveriam repensar sua filosofia de vida! Se cada um, cada uma doasse um pouquinho de si, todas as pessoas especiais que também possuem uma deficiência, seja ela qual for, conseguiriam mais, mas muito mais solidariedade, respeito e principalmente, uma condição de vida melhor e a palavrinha mágica chamada felicidade. Um abraço a todos e que Deus os abençoe. Marcia Becker
20/09/2007 20:13:46


39 Flavia Jardim - São Gonçalo- RJ
Sou formanda em Fisioterapia, e creio que projetos como esse merecem não somente os parabéns, mas aplausos pela iniciativa em ajudar e dar independência ao próximo... Estão ouvindo??? Não !!!. Agora ouçam, são as minhas palmas de agradecimento e louvor pelo projeto. Felicidades a todos... E que Deus os abençoe sempre...
10/08/2007 17:56:57


40 Maria Rosangela Rodrigues - itaquaquecetuba
achei maravilhoso e também acho se deveria ser divulgados nas escolas publicas pois só fiquei sabendo destes sites através de publicações em revistas,tenho um filho com dificuldades motoras e mental na escola regular ele tem 18 anos e está na 4 serie mas infelizmente não vejo interesse por parte da escola em fazer esforços para interagir com a inclusão aproveitando esta visita pelo site descobri que posso trabalhar e interagir com ele pela a tecnologia assistiva através talvez de adptadores e softwares que so pude ter conhecimento atraves deste site obrigado e peço por favor maior divulgaçoes se fosse possível gostaria de informações onde é possível encontrar estes produtos no comercio ou lojas especializadas principalmente a mascara para teclado e o estabilizador de punho e se este precisa de alguma indicação de profissional desculpe me por estar escrevendo tanto mas é que realmente sei que vou conseguir novas conquistas para ele através da inclusão digital quem sabe poder alfabetiza lo e talvez ate mesmo que ele consiga escrever . PARABÉNS E OBRIGADO.
07/08/2007 20:56:19


41 adriana Macedo de Abreu - Bom Jardim/RJ
Parabés pelo projeto, é de pessoas assim que o nosso país precisa.Como deve ser maravilhoso e gratificante proporcionar autonomia, liberdade e auto-estima as pessoas com deficiências. Um abraço.
28/06/2007 15:24:22


42 Paulo José - Porto Velho
Excelente! Muito útil nos dias atuais.
05/06/2007 19:28:46


43 José Oswaldo Pereira de Almeida - Pará de Minas - MG
Simplesmente fantástico. Exemplo do poder da ciência em benefício do ser humano.
28/05/2007 18:07:58


44 Ednalva Bispo - Varginha-MG
Simplesmente fantástico.
19/05/2007 23:29:08


45 Jamenson da silva - Patos PB
OLÁ! NÃO É BEM UM COMENTÁRIO QUE IREI FAZRE, MAS É UMA INFORMAÇÃO Q GOSTARIA DE TER: ONDE POSSO CONSEGUIR UMA ORTES PARA ESCRITA- TIPO ANEL QUE ENCAIXA NOS DEDOS.
16/05/2007 15:00:18


46 Marilene Batista Tristão - Goiânia Goiás
Proporcionar a uma pessoa condisções de autonomia, liberdade e auto-estima é mais que nossa obrigação é nosso dever como profissionais e cristãos.Parabens pelo projeto que Deus os abençoe.
06/05/2007 19:05:00


47 zildenile faustino dos santos - mossoró
esse projeto é fantastico , maravilhoso. super parabens.
20/04/2007 16:32:09


48 Ana - Curitiba
Muito bom!
06/03/2007 14:31:12


ENVIE SEU COMENTÁRIO

Preencha todos os dados abaixo e clique em Enviar comentário.



(seu e-mail não será divulgado)


Os conceitos e opiniões emitidos em artigos assinados são de inteira responsabilidade dos autores.