Logotipo do Planeta Educação

Fazer busca detalhada


placeholder for flash movie

Universo Escolar
 

A Identidade do aluno e do Professor da EJA - 15/07/2011
Edite Maria Sanches Viana, Jaqueline de Sá Rampazzo Sanches e Rosangela da Silva Miranda

Resumo: A concepção de mundo de uma pessoa que regressa aos estudos na idade adulta, muitas vezes após anos afastados da escola ou mesmo daquele adulto que está começando agora sua trajetória escolar, é bem peculiar. São pessoas que já formaram sua visão de mundo pelas experiências vividas e que têm suas crenças e valores já constituídos. Além disso, os alunos jovens e adultos, ao contrário das demais modalidades de ensino, são tipos humanos diversos, com seus traços de vida, origens, idades, vivências profissionais, históricos escolares, ritmos e estruturas de aprendizagem diferenciadas. Vivem no mundo adulto do trabalho, têm responsabilidades sociais e familiares e formaram seus valores éticos e morais a partir da experiência e do ambiente da realidade cultural em que estão inseridos. Neste contexto, o professor da EJA deve estar preparado para lidar e agrupar essas diversas experiências trazidas pelo educando e usá-las a seu favor e transformá-las em conhecimento significativo para o educando no processo de ensino aprendizagem.

Palavras-Chave: Identidade, EJA, Educando, Professor.

Introdução

O presente estudo tem por finalidade trazer nossas vivências enquanto profissionais da Educação da modalidade EJA e a estreita relação do fazer pedagógico e do ideal ao real. Essa modalidade a partir do século XXI conquistou o direito do exercício da cidadania e condição plena de participação na sociedade, incluindo qualificação profissional. Sendo assim, todos devem ter acesso garantido à educação.

O sistema escolar, por sua vez, deve apresentar qualidade de ensino e ainda se adequar a essa modalidade, suprindo as necessidades que esses alunos apresentam. É necessário tornar a aprendizagem mais significativa para todos. O perfil do nosso aluno é bem definido por Moacir Gadotti:

Os perfis dos alunos da EJA da rede pública são na maioria trabalhadores proletariados, desempregados, dona de casa, jovens, idosos, portadores de deficiências especiais. São alunos com suas diferenças culturais, etnias, religião, crenças.

Para esses alunos, a escola deve ser um espaço de sociabilidade, de transformação social e de construção de conhecimentos. Conhecimentos sustentados na perspectiva daqueles que aprendem saberes diversos e que tenham especialmente um significado, pois sabemos que muitas vezes este aluno vem cansado do trabalho, é mãe e precisa sair mais cedo porque tem que buscar a criança na escola, enfim, buscam o que acham necessário ao acréscimo do seu aprendizado. Em sala de aula, é clara a preocupação do aluno em saber se o conteúdo ministrado vai ou não servir no seu dia a dia.

Como esse educando já vem com uma experiência de vida, o professor deve levar em conta essa bagagem ao preparar seu conteúdo devido cada um dos seus educandos ter a sua peculiaridade. Ao voltar à sala de aula, ele faz buscas além do conteúdo, buscando também mecanismos que promovam um desenvolvimento pessoal, ou seja, o aluno jovem e adulto encontra-se muitas vezes aberto a novas descobertas.

No decorrer desses anos trabalhados na EJA, comprovamos que os educandos só irão se empenhar em processos de aprendizagem que tragam para a sala de aula assuntos sobre os quais eles se interessam ou que estejam relacionados com o seu universo. Conseguindo se identificar nesse contexto, eles irão formar suas conclusões e construir as sínteses necessárias para o seu novo saber. Quer dizer, o educando jovem e adulto espera aprender melhor sobre aquilo que já sabe para depois elaborar o processo de aprendizagem sobre aquilo que é desconhecido, ampliando os próprios interesses e horizontes.

Com essas atitudes, fica claro que o educando jovem e adulto, por ser cidadão trabalhador, quer sentir-se sujeito ativo, participativo e ter a possibilidade de crescer na cultura, no social e no âmbito econômico.

Sabemos que a modalidade da EJA tem as suas especificidades. Portanto, os profissionais da Educação de Jovens e Adultos podem representar um importante avanço nas políticas de acesso e permanência dessa modalidade de ensino, pois ela pode representar o elo entre as políticas e uma possível efetivação destas na prática pedagógica do professor.

Esses profissionais comprometidos com a pluralidade e com respeito à diversidade das culturas apresentadas pelos jovens e adultos precisam participar de uma formação continuada permanente, para poder ir de encontro às especificidades de cada educando na EJA.

O professor da EJA atualmente traça o seu perfil na busca de ampliar suas habilidades e competências especificas para desenvolver uma boa prática pedagógica em seu trabalho.

A formação técnica faz parte da competência que o professor deve trazer na sua formação acadêmica, mas muitas das vezes precisamos buscar na formação continuada um complemento para saber conduzir os ensinamentos dentro da complexidade dessa sociedade de conhecimento (EJA). A aprendizagem já é um processo envolvente por natureza, por ser um professor da EJA exige uma maior interação, compreensão e receptividade as expectativas dos alunos. Por isso, a disponibilidade se faz necessária porque muitas vezes nos deparamos mediando conflitos e restaurando a autoestima desses educandos.

Na profissão que exercemos, temos que estar preparados para lidar com pressões internas. Por exemplo, será que estamos indo ao encontro das necessidades do nosso educando? Qual o porquê das evasões? Respostas que podem ser encontradas por meio de uma autoavaliação feita pelo educador em relação as suas práticas desenvolvidas em sala de aula. Trabalhar com Jovens e Adultos requer uma organização e planejamentos dos conteúdos, pois estes devem ser fundamentados na capacidade de tomar decisões, visando toda a complexidade do processo educacional.

Para que tenhamos êxito em nossas atividades profissionais, enumeramos habilidades que podem aprimorar nossas ações pedagógicas: boa comunicação, relacionamento interpessoal e liderança, isso possibilita o desenvolvimento de um fazer pedagógico coerente às necessidade desses educandos.

O perfil do professor da EJA é muito importante para o sucesso do aluno que vê o professor como um modelo a seguir. Dentre as atribuições do professor está o compromisso em mostrar que a EJA é uma educação possível e capaz de mudar significativamente a vida de uma pessoa, permitindo a esta reescrever sua história e, também, compreender melhor o aluno e sua realidade diária, acreditando nas possibilidades do ser humano, buscando seu crescimento pessoal e profissional.

Considerações finais


Educação de Jovens e Adultos (EJA) é uma modalidade específica da educação básica que se destina à inclusão escolar de um público que, por motivos diversos, foi excluído da educação durante sua infância ou adolescência. Essa modalidade de ensino não se define pelo turno que é ofertada, mas pela sua configuração com vistas a atender as especificidades dos sujeitos que pretende abranger.

Com o passar do tempo, notamos que a identidade do aluno da EJA vem sofrendo modificações dentro da proposta apresentada nos estudos da contextualização histórica da EJA. Hoje, segundo estudos e experiências vivenciadas, já encontramos educando adolescente (15 anos) com defasagem série-idade e regularização do fluxo escola nas dependências do ensino da EJA.

Por isso, a identidade do aluno da EJA apresenta uma diversidade muito grande porque são alunos trabalhadores na sua grande maioria, sem tempo para estudar e com autoestima baixa. Ao chegar à escola, deparam-se com diferentes culturas, etnias, religiões e crenças, isso às vezes faz com que eles não consigam socializar-se e continuar os estudos, ou seja, esses alunos são diferentes entre si, tanto que diz respeito aos seus ciclos de vida. São alunos que têm uma cultura própria. Contamos com nossas ações pedagógicas para mediar esses conflitos existentes entre eles, sensibilizando-nos sob o fato que o estudo vai proporcionar um leque de oportunidades para o crescimento intelectual e profissional de cada um deles.

Cabe ao educador da modalidade da EJA a busca permanente por qualificação para desenvolver ações pedagógicas que atentam às necessidades dos educandos jovens e adultos e suas experiências socioculturais. O professor deve estabelecer o aprendizado com base na realidade do educando, propondo apropriação dos conteúdos a partir das histórias relatas por seus alunos. Portanto, o primeiro passo para uma experiência bem- sucedida consiste em saber quem são esses alunos, onde e como vivem e qual é o seu histórico de vida. Nóvoa diz que: O aprender contínuo é essencial e se concentra em dois pilares: a própria pessoa como agente, e a escola como lugar de crescimento profissional permanente. (2002,p.23)

Referências bibliográficas


Gadotti, Moacir. Boniteza de um sonho: Ensinar e aprender com sentido. São Paulo: Cortez, 2002.

Freire, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 32. Ed. São Paulo: Cortez. 1996

Morgado, Maria Aparecida. Da Sedução na relação pedagógica: professor-aluno no embate com afetos inconscientes. 2. Ed. São Paulo: Summus, 2002.

Nóvoa, Antonio (org.). Os professores e sua formação. Lisboa-Portugal: Dom Quixote, 1987.

Sobre as Autoras:


Edite Maria Sanches Viana: Graduação em Matemática pela Univag, Especialista na área de Matemática, Atua como Coordenadora da área da Natureza e Matemática e suas tecnologias na Ceja Antonio Cesário de Figueiredo Neto.

Jaqueline de Sá Rampazzo Sanches: Graduação em História e pedagogia pela UFMT, Pós-graduação em EJA, Atua como Professora do ensino fundamental e médio de História na Ceja Antonio Cesário de Figueiredo Neto.

Rosangela Miranda da Silva: Graduação em Matemática pela UFMT, concluinte em pós-graduação em EJA, Atua como Professora de Matemática do ensino fundamental na CEJA Antonio Cesario de Figueiredo Neto.

Avaliação deste Artigo: 4 estrelas
COMPARTILHE

DeliciusDelicius     DiggDigg     FacebookFacebook     GoogleGoogle     LinkedInLinkedIn     MySpaceMySpace     TwitterTwitter     Windows LiveWindows Live

AVALIE O ARTIGO





INDIQUE ESTE ARTIGO PARA UM AMIGO










11 COMENTÁRIOS

1 Alessandra - São Paulo
Gostei do artigo, parabéns. Verifiquei sobre as autoras que Jaqueline de Sá Rampazzo Sanches e Rosangela Miranda da Silva realizaram pósgraduação em EJA, mas não informam em qual instituição. Poderiam por favor encaminhar aonde esta pós foi realizada. Atenciosamente, Alessandra
09/07/2013 16:23:10


2 Alessandra - São Paulo
Gostei do artigo, parabéns. Verifiquei sobre as autoras que Jaqueline de Sá Rampazzo Sanches e Rosangela Miranda da Silva realizaram pósgraduação em EJA, mas não informam em qual instituição. Poderiam por favor encaminhar aonde esta pós foi realizada. Atenciosamente, Alessandra
09/07/2013 16:22:48


3 Igor Rannes - Apodi
As autoras estão de parabéns pelo artigo, e com isso estou usando o mesmo em prol de um trabalho acadêmico, gostaria de saber em que ano ele foi publicado para poder colocar nas referências. Por favor envie o mais rápido possível, grato!
28/04/2013 11:06:14


4 Sônia Cristina Tomaz Vieira - Curitiba
Nosso aluno da EJA é aquele cidadão que trabalhou cedo, esse é apenas um dos motivos para afastarse das salas de aula, formou família, criou os filhos dando aquela educação que não teve ou não pode ter, e só agora se volta para as suas necessidades.
08/04/2013 21:13:32


5 Sérgio Zanoni - Curitiba PR
Parabéns O artigo retrata bem nosso diaadia com estudantes da EJA. Suscinto e objetivo.
23/03/2013 20:33:32


6 Arivaldo de Araujo - Guarulhos
O artigo é muito bom,foi o eixo de um trabalho em que equipes puderam apresentar o quanto a educação pode agregar no cotidiano.
26/11/2012 09:16:28


7 thais Almeida - rio de janeiro
a eja é uma grande oportunidade para que as pessoas ue não tiveram oportunidade de estudo possam ter acesso escola...
20/11/2012 14:50:04


8 Rosiane - Sinop/MT
Estou usando o artigo em minha monografia, gostaria de saber em que ano ele foi publicado para poder colocar nas referências.
21/10/2012 01:08:46


9 Elisabeth jesus de souza - niteroi, rj
O artigo está sendo muito util para mim.É um artigo precioso. Parabén aos autores.
19/10/2012 07:45:44


10 Elisabeth jesus de souza - niteroi, rj
O artigo está sendo muito util para mim.É um artigo precioso. Parabén aos autores.
19/10/2012 07:44:57


11 Walter José Patrício - GuarujáSP
Na verdade, adorei seu artigo. Muito bem contextualizado. Parabéns.
11/10/2012 04:58:59


ENVIE SEU COMENTÁRIO

Preencha todos os dados abaixo e clique em Enviar comentário.



(seu e-mail não será divulgado)


Os conceitos e opiniões emitidos em artigos assinados são de inteira responsabilidade dos autores.