Logotipo do Planeta Educação

Fazer busca detalhada


placeholder for flash movie

Educação Profissional
 

Mais de setenta mil brasileiros estariam empregados se tivessem formação em TI - 03/03/2011
Rodrigo Losina

- Garantir o funcionamento dos sistemas de informática.

- Gerenciar a manutenção e segurança das informações, dos servidores e dos equipamentos da rede.

- Realizar a atualização do site e de software.

- Assessorar no processo de aquisição dos equipamentos de informática.

- Desenvolver softwares que sejam identificados como necessários para a empresa.

-Controlar e avaliar os equipamentos e o desempenho da equipe nos diversos níveis por sistema, programa, turno de operação e tipo de equipamento.

- Fornecer consultoria e treinamento.

Estas são apenas algumas das diversas funções do profissional de Tecnologia da Informação.

Apesar do bom salário, este profissional tem se tornado artigo raro no Brasil, o que explica as vagas neste setor estarem entre as dez mais difíceis de serem preenchidas.

Os dados não parar por aí. Segundo a Right Managment Consultoria, neste exato momento, mais de setenta mil brasileiros estariam empregados se tivessem formação em TI. E mais, em 2013 seriam duzentos mil.

Para Rodrigo Losina, diretor da Alfamídia Treinamentos, empresa especializada em capacitação profissional, o problema começa na extinção dos profissionais que se interessam por matemática, lógica, cálculo e exatas.

"O Ministério da Educação divulgou que 70% dos jovens brasileiros preferem as humanas. Isso explica, em um primeiro momento, a raiz de toda a problemática.”

Perguntado sobre o profissional ideal, Rodrigo diz ser difícil traçar um perfil, mas garante que para trabalhar na área o inglês é fundamental.

“Preferencialmente, um domínio tanto de leitura quanto conversação. Além disso, o diploma é importante. Tendo condições de realizar uma faculdade na área, é recomendável. Pode não ser indispensável para conseguir um emprego, mas tende a ter um forte impacto em quanto você vai crescer na área ao longo do tempo. Entretanto, é bom estar bem seguro que esta é a área que você deseja atuar, antes de investir 2 ou 4 anos de estudo na mesma.”

O empresário alerta também para a importância das Certificações:

“Esses exames de fabricantes de software são relevantes para se destacar como um bom profissional. O domínio de determinadas ferramentas ou linguagens em um processo seletivo é, da mesma forma, importante e isto muitas vezes está mais vinculado à experiência prévia ou a cursos de especialização, como os que a Alfamídia oferece, que a um diploma em si.”.

Finalizando, na área de TI provavelmente a continuidade dos estudos pesa mais que um currículo baseado em um elemento isolado, segundo argumetação do próprio Rodrigo:

“Um profissional que demonstra, em seu portfólio, que está continuamente se reciclando e buscando novos aprendizados é um profissional que não se tornará ultrapassado no futuro, e, portanto, naturalmente será o mais cobiçado pelas empresas.”

Avaliação deste Artigo: 5 estrelas
COMPARTILHE

DeliciusDelicius     DiggDigg     FacebookFacebook     GoogleGoogle     LinkedInLinkedIn     MySpaceMySpace     TwitterTwitter     Windows LiveWindows Live

AVALIE O ARTIGO





INDIQUE ESTE ARTIGO PARA UM AMIGO










1 COMENTÁRIOS

1 Roberto - Natal
Não concordo... Sou formado em Tecnologia da informação, quando estava no começo do curso e lia um artigo desse, ficava muito animado, pois está faltando profissional capacitado. Posso não ser capacitado para algumas empresas, mas dizer que é fácil uma empresa contratar um recemformado, NÃO É. E que Salários altos são esses???? R$1.000,00 é alto?. e essa falta de profissional só vai aumentar, pois o que falta é reconhecimento e oportunidade, e não ser tratado como MENINO DO COMPUTADOR. Na minha opinião esse artigo pode servir para o sudeste do Brasil, pq aqui em Natal a situação é bem diferente.
01/04/2011 14:40:29


ENVIE SEU COMENTÁRIO

Preencha todos os dados abaixo e clique em Enviar comentário.



(seu e-mail não será divulgado)


Os conceitos e opiniões emitidos em artigos assinados são de inteira responsabilidade dos autores.