Logotipo do Planeta Educação

Fazer busca detalhada


placeholder for flash movie

Filosofando
Paulo Fernando de Castro  Professor, escritor e palestrante; Autor do livro infantil “Em Busca da Chave Mágica”.

Será o livro uma personificação do mago em sua alquimia escrita? - 30/07/2010
Paulo Castro

O sono não voltou mais e me deixou meio adormecido. Percebo que o ônibus diminui sua velocidade para parar num próximo ponto.

Descem poucas pessoas e sobem menos ainda. Neste ínterim, num instante de uma rápida visão captada pela minha percepção, vejo uma garota sozinha na varanda de sua casa, balançando na rede com um livro nas mãos.

No mesmo momento me perguntei: “Do que se trata o livro?”. Pus as minhas ideias a criar uma ansiedade envolta do semblante da garota.

Minha mente, então, inicia uma caçada a descobrir aquele mistério. A mente foi trabalhando numa ansiedade que me invadiu em construir e reconstruir ao mesmo tempo a visão que o livro revelava àquela garota.

A rede para de balançar como por uma força maior, não permitindo qualquer sensação de som ou movimento que possa desviar seus olhos fixos das linhas da página do livro num silêncio concentrado.

Seus cabelos compridos não a incomodava pelo vento que fazia lá fora e nada a fazia desviar sua atenção do que lia.

As imagens da garotinha leitora, que minha mente captava naquele momento, sobem para a consciência, incomodando-me com a dúvida sobre qual assunto aquele livro tratava.

Percebi que o livro a conduzia numa concentração absoluta, firme e segura de não sentir nada que possa atrapalhá-la, concentração esta advinda das forças externas de quaisquer fenômenos da natureza.

A cena que vi da garota na rede com seu livro misterioso não dá para não ser percebida pela distância do desfoque que a janela do ônibus produz, mas não vi qualquer possibilidade de descobrir o nome do livro e sua capa.

A posição onde estava sentado não me permitiu saber qual é o livro que a garota lia, mas num relance percebi que o livro, em suas linhas escritas, exercia magia sobre sua leitora.

Possuía-a inteiramente, de corpo e alma, de tal forma que não teria como nada interromper aquele momento, desviando os seus pensamentos.

Parece-me que seus sentidos não captavam mais o que vinha de fora, somente aquilo que sai do livro. Estas sensações advindas do livro fazia-o penetrar diretamente na mente dela, de modo que seus sentidos absorviam ferozmente o que lia, sem nada que pudesse impedi-la.

E, então, pensei: “Como pode um livro ocasionar tal efeito mortificador num estado intransitado? Como pode estar em transe estático sem nada a abalar? Seu emocional já não tem forças para reagir? Será o livro uma personificação do mago de sua alquimia escrita?

Oh! Pobre garotinha, está confinada ao fado perpétuo numa história sem fim? A verdade é que as letras do livro a aprisionam, definitivamente, para sempre.

Avaliação deste Artigo: 4 estrelas
COMPARTILHE

DeliciusDelicius     DiggDigg     FacebookFacebook     GoogleGoogle     LinkedInLinkedIn     MySpaceMySpace     TwitterTwitter     Windows LiveWindows Live

AVALIE O ARTIGO





INDIQUE ESTE ARTIGO PARA UM AMIGO










1 COMENTÁRIOS

1 luciana aparecida da silva - sao jose dos campos
este texto me chamou muito a atenção pois adoro leitura e realmente me sinto em outro mundo quando estou lendo.sua escrita é clara simples e envolvente,nos remete a nós mesmos fazendo com que vejamos o presente e universo variado que a dentro dele.
11/08/2010 09:30:05


ENVIE SEU COMENTÁRIO

Preencha todos os dados abaixo e clique em Enviar comentário.



(seu e-mail não será divulgado)


Os conceitos e opiniões emitidos em artigos assinados são de inteira responsabilidade dos autores.