Logotipo do Planeta Educação

Fazer busca detalhada


placeholder for flash movie

Cinema na Educação
João Luís de Almeida Machado Doutor em Educação pela PUC-SP; Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP); Professor Universitário e Pesquisador; Autor do livro "Na Sala de Aula com a Sétima Arte – Aprendendo com o Cinema" (Editora Intersubjetiva).

Lições de quem faz as melhores animações do mundo - 15/12/2009
Ou, como a Pixar revolucionou o mercado de animações...

Símbolo-da-Pixar

Assisti recentemente e recomendo a todos, não apenas às pessoas que curtem cinema ou especificamente as animações, o ótimo documentário "The Pixar Story". Através desta produção, ficamos sabendo como foi a trajetória de uma das mais celebradas e respeitadas empresas que atuam no ramo de entretenimento no mundo de hoje. Algumas lições, no entanto, me pareceram tão fortes e poderosas que mereciam destaque. São elas:

1- John Lasseter, um dos responsáveis pelo sucesso da Pixar ao lado de Steve Jobs, sempre foi verdadeiramente apaixonado por desenhos animados e, a partir do momento em que descobriu que poderia ganhar a vida trabalhando com isso, não teve dúvidas, abraçou seu sonho. Partiu então para um curso, na Califórnia, nos anos 1970, em faculdade criada por Walt Disney. Seus professores? Os artistas que praticamente conceberam esta arte nas décadas anteriores, ou seja, os animadores da Disney, já veteranos, retirados de sua aposentadoria, para eternizar este trabalho. Estes professores foram responsáveis por clássicos como Pinóquio, Fantasia, Branca de Neve e os Sete Anões, Dumbo, Mógli... Entre as lições percebidas neste relato, destacaria a valorização dos saberes dos experientes mestres e a paixão de Lasseter pelo trabalho que escolheu fazer ao longo de sua vida.

2- Não pensem que tudo foi fácil, não... Durante os anos de estudo, Lasseter trabalhava durante as férias nos parques temáticos da Disney, no início como varredor de ruas e depois como condutor do barco de uma das atrações... Aqui vale destacar que sempre começamos por baixo e que, desde que honesto, qualquer trabalho é digno e passível de nos legar saberes... Lasseter, hoje, dirige a Disney/Pixar e é responsável também pelos parques e novos brinquedos que lá existem...

Cena-de-Gerrs-Game-em-que-senhor-sorri-enquanto-joga-damas
Cena de “Gerri’s Game”, curta de animação da Pixar.

3- Como resultado de estudos, aplicação e amor pelo trabalho, Lasseter foi premiado por seus dois primeiros curtas de animação, realizados ainda nos anos 1970 e, por conta deste já prematuro sucesso, conseguiu o emprego de seus sonhos, na fábrica de sonhos, ou seja, de novos desenhos animados, da Walt Disney.

4- No início dos anos 1980, as animações passavam por uma entressafra, com queda nas bilheterias e perda de interesse do público. Na mesma época, os estúdios Disney lançaram o filme "Tron", que foi o primeiro a trabalhar com efeitos digitalizados, criados por computadores. Lasseter percebeu que o futuro estava nestas tecnologias e decidiu investir numa animação que utilizasse também estes recursos (além dos tradicionais). Visão de futuro e capacidade de empreender, então, são os marcos deste ponto da história...

5- Ao mostrar a animação que surgiu para o então presidente da Disney, Lasseter foi questionado quanto aos custos e tempo de produção. Ao dizer que eram praticamente os mesmos das animações tradicionais, escutou que este trabalho então não interessava aos Estúdios Disney. Ao voltar para sua sala, menos de 10 minutos depois deste fato, recebeu um telefonema de seu chefe imediato e foi comunicado de sua demissão... Estava além de seu tempo e não foi compreendido...

Cena-de-carro-vermelho-com-semblante-de-convicção
“Carros” (2006), de John Lasseter, outra animação em longa-metragem
produzida pela parceria Disney/Pixar que obteve êxito mundial.

6- Não desistiu e chegou à conclusão de que animações digitalizadas eram mesmo o futuro. Associou-se a engenheiros, arquitetos, técnicos e contou com o aporte de recursos por parte do visionário empreendedor Steve Jobs, da Apple. Antes disso, alguns de seus parceiros trabalharam com o mago George Lucas (da série Star Wars), na Industrial Light and Magic, na qual foram concebidos importantes avanços tecnológicos para a produção em cinema, inclusive para trabalho com computadores... Juntou-se, então, às pessoas certas que, como ele, também acreditaram nas possibilidades das animações criadas em computadores... Reuniu forças com outros especialistas, conhecedores de outras técnicas e equipamentos...

7- Durante os primeiros anos a firma não deu lucros, apenas contabilizou gastos, o que poderia levar Jobs a deixar de investir na Pixar. A persistência e confiança do mago da Apple fizeram com que a Pixar evoluísse e conseguisse chegar ao seu primeiro grande sucesso, o longa-metragem de animação computadorizada, "Toy Story", e pudesse partir para todos os demais hits por ela produzidos (Carros, Os Incríveis, Procurando Nemo...).

8- O sucesso da Pixar não cegou os realizadores e tampouco engessou o trabalho na empresa, cada novo projeto é desafio diferente do anterior e, neste caminho, novas técnicas, recursos, ideias, pessoas, histórias e possibilidades surgem...

9- O advento das técnicas de animação computadorizada colocou o mercado de animações em alta no mundo inteiro e a Pixar se associou à Disney, com Lasseter sendo contratado para gerir a empresa de Uncle Walt, anos depois de ter sido demitido por suas ideias inovadoras, que não foram compreendidas pelos então gestores da Disney...

Cena-de-monstro-assustando-com-criancinha
“Monstros S.A.” (2001), um dos primeiros grandes sucessos da Pixar ao lado
de “Toy Story”, conta com criatividade a história do bicho-papão às avessas.

10- A animação computadorizada quase sepultou as técnicas tradicionais de produção de desenhos animados, e isto grandemente em função do sucesso da Pixar e de outras companhias que seguiram seus passos... A Disney fez planos de fechar seus estúdios de animação... Os executivos da Pixar decidiram, então, investir também em animações produzidas com técnicas convencionais para preservar esta arte, acreditando que há espaço tanto para animações computadorizadas quanto para as desenhadas à mão por grandes artistas... O que vende ingressos e pipoca não são exatamente as técnicas, mas as grandes histórias contadas na tela, acreditam todos que trabalham na Pixar (Com o que concordo em grau, número e gênero).

Obs.: Apresento, abaixo deste artigo, o curta de animação One Man Band, da Pixar, é claro, para uma melhor apreciação do belo trabalho destes animadores!

Vídeos Relacinados

Avaliação deste Artigo: Matéria ainda nao avaliada.
COMPARTILHE

DeliciusDelicius     DiggDigg     FacebookFacebook     GoogleGoogle     LinkedInLinkedIn     MySpaceMySpace     TwitterTwitter     Windows LiveWindows Live

AVALIE O ARTIGO





INDIQUE ESTE ARTIGO PARA UM AMIGO










1 COMENTÁRIOS

1 ISABEL MARTINS RESENDE - belo horisonte
EU AMEI TUDO ISO MESMO.....BJSSS..........
22/05/2010 19:51:50


ENVIE SEU COMENTÁRIO

Preencha todos os dados abaixo e clique em Enviar comentário.



(seu e-mail não será divulgado)


Os conceitos e opiniões emitidos em artigos assinados são de inteira responsabilidade dos autores.